Até essa sexta-feira (18), a Paraíba havia aplicado 1.571.576 doses das vacinas contra a Covid-19. Desse total, 1.095.965 de pessoas tomaram a primeira dose e 475.611 foram imunizadas com a segunda. Esse é o balanço mais recente sobre a vacinação, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Até o começo dessa semana, na Dose 2, conforme o balanço, o Estado tinha conseguido imunizar 11,63% da população total a ser vacinada, o que coloca a Paraíba na primeira colocação entre os estados do Nordeste e o terceiro do país, ficando abaixo apenas do Rio Grande do Sul (14,38%) e Mato Grosso do Sul (13,11%).

Ainda conforme os dados divulgados pelo Estado na terça-feira (15), que são os mais atualizados, 55 municípios estão com a Dose 2 aplicada com cobertura igual ou superior a 90%; 57 estão abaixo de 70% de aplicação da Dose 1 e 39 também estão abaixo de 70% de aplicação da Dose 2.

Quando avaliada a execução de campanha Dose 1 e Dose 2, em relação às doses recebidas pelos Municípios, são 37 com execução igual ou menor a 70% e 33 se encontram com registro de doses aplicadas acima dos 90%, somando-se as doses 1 e 2.

“A expectativa é que até o mês de outubro de 2021 todos os adultos, na Paraíba, recebam a primeira dose. Para isso, é necessário que haja o envio regular de doses por parte do Ministério da Saúde”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros.

Conforme o secretário, mais de 1 milhão de novas doses de vacinas são esperadas na Paraíba para os meses de junho e julho, o que deverá acelerar a imunização.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) já entregou aos Municípios:

  • 100% das doses destinadas aos trabalhadores da saúde;
  • 100% das doses destinadas aos idosos institucionalizados;
  • 100% das doses destinadas às pessoas com deficiência permanente institucionalizadas;
  • 100% das doses destinadas aos povos indígenas vivendo em áreas demarcadas;
  • 100% das doses destinadas aos idosos, acima de 60 anos;
  • 38,6% das doses para as Forças Armadas, de segurança e salvamento;
  • 100% da população quilombola;
  • 78,75% das doses destinadas às pessoas com comorbidade e deficiência permanente;
  • 89,5% para trabalhadores portuários;
  • 90,3% dos trabalhadores de transporte aéreo e
  • 58% dos trabalhadores de educação do Ensino Básico.

De acordo com pactuação feita na Comissão Intergestores Bipartite (CIB), os Municípios que conseguirem cumprir a vacinação das pessoas com comorbidade e dos trabalhadores da Educação, já podem iniciar a vacinação da população geral por critério de idade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

12 + dezessete =