Um dia depois de Bolsonaro publicar uma nota com recuo dos ataques que proferiu no 7 de setembro, um nome de peso do governo se reuniu com o principal alvo do presidente, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

O chefe da pasta da Justiça, Anderson Torres, passou mais de quatro horas em um encontro a sós com o magistrado na casa dele, em São Paulo.

Torres saiu otimista da conversa, que descreveu como “cordial e respeitosa”. A interlocutores disse que que o futuro das relações entre os poderes será “o melhor possível”. A agenda foi uma inciativa do ministro da Justiça com o aval de Bolsonaro.

Essa não foi a única agenda de bombeiro de Torres na capital paulista. Antes de conversa com Moraes, o ministro almoçou com a cúpula da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Lá, trabalhou para distensionar o clima após o desentendimento da entidade com bancos públicos por causa de um manifesto em defesa da democracia. Torres também costurou com o presidente da Febraban, Isaac Sidney, a criação de uma estratégia nacional de combate aos crimes cibernéticos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

onze − três =