Acusado pelo Gaeco de ser o “padrinho da corrupção” que culminou com os desvio de mais de R$ 134 milhões da Saúde e Educação da Paraíba, Ney Susasuna (Republicanos) está de volta ao Senado após treze anos. Ele assumiu a vaga com a licença de Veneziano Vital do Rêgo (PSB).

De acordo com o Ministério Público da Paraíba, foi Ney quem apresentou Daniel Gomes, operador da Cruz Vermelha, ao ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), ainda durante a campanha de 2010. Daniel teria contribuído para campanha de Coutinho como contrapartida dos contratos fraudulentos na Saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quinze − quatro =