Apesar de ser crime previsto no Código Penal, 13% das ligações recebidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de João Pessoa, no mês de abril, são referentes a trotes. O órgão recebeu no período 23.446 chamadas, sendo 3.058 ligações de trotes.

Aquele que for identificado passando trote para os serviços de emergência é enquadrado no artigo 340 do Código Penal por falsa comunicação de crime ou de contravenção. A pena é detenção de um a seis meses ou multa.

Ao ClickPB, o coordenador do Samu, o médico Galileu Machado, destacou que traz prejuízos para a população que de fato necessita de atendimento por uma das euipes da cidade. “Quem precisa de atendimento fica prejudicado com esses trotes”, frisou. Entre as pessoas que passam os trotes estão crianças ou adolescentes e pessoas repassando informação falsa.

O Samu de João Pessoa realizou 6.348 atendimentos no mês de abril, sendo 3.635 somente na Capital. A maior parte dos atendimentos é para socorro de vítimas, seguidos por orientações e transferências para unidades de saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × quatro =