O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino, em nome de todos os parlamentares e servidores da Casa Epitácio Pessoa, lamenta a morte do senador e ex-governador José Maranhão (MDB), ocorrida na noite desta segunda-feira (08), em São Paulo, em decorrência de complicações da Covid-19.

O presidente também decretou luto oficial de sete dias pelo falecimento de Maranhão, que foi deputado estadual por quatro legislaturas.

“É com profundo pesar e o coração quebrantado que lamentamos a morte do senador e ex-governador José Maranhão. Maranhão demonstrou nos últimos dias, na luta contra os efeitos deste vírus devastador, a mesma garra e determinação, que nortearam toda sua trajetória de vida, mas infelizmente é mais um a tombar diante deste inimigo invisível e cruel. A desembargadora Fátima Bezerra, companheira inseparável de vida e lutas, minha solidariedade, estendida aos filhos, parentes e amigos”, disse o presidente.

“A Paraíba perde um grande líder, a política perde um grande exemplo e eu perdi um amigo, um professor. Que Deus na sua infinita misericórdia o receba com toda Glória”, acrescentou.

Perfil

José Targino Maranhão, mais conhecido como Zé Maranhão (Araruna), 6 de setembro de 1933), era empresário e político brasileiro, atualmente senador pela Paraíba, filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Foi deputado estadual, deputado federal, vice-governador e governador do estado da Paraíba em três ocasiões.

É filho de Benjamim Gomes Maranhão, ex-prefeito de Araruna, e de Dona Benedita Targino Maranhão (Dona YaYá). Casado com a Desembargadora Maria de Fátima Bezerra, é pai de Maria Alice, Leônidas e Letícia. Tem dois netos: José Neto e Maria de Fátima.

Começou a sua carreira política, eleito deputado estadual em 1955 pelo PTB, partido pelo qual volta a ser eleito deputado estadual por mais dois mandatos consecutivos. Em 1967, se filiou ao MDB, pelo qual voltou a ser eleito deputado estadual, ficando no cargo até 1969.

Em 1982, elegeu-se deputado federal constituinte, voltando a se eleger ao cargo em 1986, na legislatura 1987 – 1991. Em 1990, voltou a concorrer a uma vaga de deputado federal, sendo eleito para o período 1991 – 1994.

Em 1994, foi eleito vice-governador na chapa de Antônio Mariz, aonde acaba assumindo o mandato em virtude da morte do titular, cerca de dez meses depois de ter assumido o mandato de governador. Em 1998 disputa a candidatura à reeleição ao governo do estado pelo PMDB. Na eleição para governador, é eleito com cerca de 80% dos votos válidos, sendo o governador mais votado do país naquele ano em termos percentuais.

Em 2014, foi indicado pelo seu partido como candidato a senador da república, cargo pelo qual se elege pela segunda vez com 647.271 votos (37,12% dos votos válidos).

Em fevereiro de 2015, já no início da nova Legislatura no Congresso, foi eleito Presidente da mais disputada Comissão do Senado: a de Constituição, Justiça e Cidadania, para o biênio 2015/2016. Em março de 2015 assumiu a presidência da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), e permaneceu no cargo até dezembro de 2016.

Nas eleições de 2018, tentou um quarto mandato de governador pelo MDB. Ficou em terceiro lugar. Em 2019, prossegue seu mandato de oito anos como Senador representante da Paraíba. Atualmente, era membro titular da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania; da Comissão de Educação, Cultura e Esporte; e da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

cinco + dezesseis =