Em conversa com apoiadores no fim da tarde desta terça-feira (24), na porta do Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que a população precisa entender como o preço da gasolina e do gás de cozinha são compostos, “A gasolina tá barata, o gás de cozinha tá barato. O pessoal tem que entender a composição do preço. Acabam me culpando por tudo o que acontece no Brasil.”

Composição dos preços

Na composição do preço da gasolina, a fatia da Petrobras é a maior, superando os 30%. O ICMS (imposto estadual) citado como “vilão” no preço por Bolsonaro, é responsável por quase 28% do valor final. Impostos federais — Cide, PIS e Cofins — representam outros 11,6%. No caso do ICMS, cada Estado define sua alíquota. Segundo dados da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis, ela varia entre 25% e 34% na gasolina, dependendo do Estado.

Os biocombustíveis, que também são incluídos na mistura final, também subiram de preço – caso do etanol anidro, que é adicionado na proporção de 27% na gasolina comum e representa cerca de 16% do preço final. As margens brutas de revenda e distribuição ficam em torno de 11,7% do preço final.

Ao longo de 2021, a gasolina teve aumento de 51%. A probabilidade é que os valores cresçam ainda mais nos próximos meses.

Entre os fatores para esse aumento está o preço do petróleo, que vem subindo no mercado mundial sem perspectiva de um crescimento de produção que justifique uma queda no curto prazo. O dólar, que está na casa dos R$ 5,30, também pesa nessa conta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um × cinco =