Em estado de emergência, passando por uma quarta onda do coronavírus, com “novas variantes” e com menos de 2% de sua população vacinada.

Esse é o quadro atual do Japão, apenas três meses antes da Olimpíada.

O Japão registrou 3,2 mil novos casos na segunda-feira (26), os piores números desde o final de janeiro, quando o país ainda estava imerso em sua terceira onda.

Na semana passada, o país asiático impôs seu terceiro estado de emergência desde o início da pandemia em Tóquio, a capital, e nas prefeituras de Osaka, Kyoto e Hyogo.

O governo anunciou que o estado de emergência seria “curto e intenso”, e que as medidas de contenção durariam duas semanas, entre 25 de abril e 11 de maio.

Durante esse período, lojas de departamentos, restaurantes, bares e karaokês que servem bebidas alcoólicas ficarão fechados

Os restaurantes que não servem bebidas alcoólicas fecharão mais cedo e as empresas deverão tomar medidas para facilitar o trabalho remoto. As escolas permanecerão abertas.

Tudo isso em meio a dúvidas e críticas sobre a celebração dos Jogos Olímpicos, que já foram adiados no verão de 2020.

“Os Jogos Olímpicos não serão muito divertidos se o coronavírus e novas variantes continuarem a se expandir. Empresários e políticos dizem que será emocionante e divertido. Pode ser verdade, mas é assustador se não estivermos devidamente protegidos”, disse a professora de Ciências Sociais da Universidade Waseda, Mieko Nakabayashi, para a BBC News Mundo (serviço em espanhol da BBC).

Quarta onda impulsionada por novas variantes

 

O impacto do coronavírus no Japão foi menor do que em muitos outros países. No total, o país acumula cerca de 570 mil casos e 10 mil mortes, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

catorze − 3 =