A Confederação Nacional do Comércio (CNC) constatou que a pandemia do novo coronavírus afetou uma dos setores econômicos mais importantes do país que é o segmento do turismo. Segundo os dados, foram 446 mil demissões e 193 bilhões de prejuízos financeiros até o mês de julho deste ano. A CNC acredita que o setor não terá uma recuperação econômica rápida por conta da crise com rapidez.

O presidente da CNC, José Roberto Tadros, faz um alerta de que, além da crise econômica, o turismo terá que enfrentar a questão da criminalidade. “Qualquer leitura que se faça na atual conjuntura, terá de ser reanalisada no futuro. O setor de turismo já vinha sofrendo mesmo antes da pandemia por causa dos problemas de segurança pública no Brasil. As pessoas vêm de outros países para se divertir, não para morrerem ou serem assaltadas. Na pandemia, no entanto, o estrago foi grande: perdemos R$ 193 bilhões em faturamento e 446 mil empregos”, afirmou, durante entrevista virtual a um veículo da imprensa nacional.

Levantamento feito pela entidade mostra que o mês de abril registrou o maior número de demissões: 174 mil empregados perderam seus postos de trabalho. Já no mês de março, 104 trabalhadores foram mandados embora de seus empregos. No mês de junho, foram 44 mil desempregados e em julho foram 40 mil. Para José Roberto, o processo de recuperação do setor será lento, mesmo que apareça uma vacina que possa curar a Covid-19.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um × 3 =