O secretário executivo de Gestão de Redes de Saúde, Daniel Beltrammi, em entrevista ao ClickPB, avaliou que as medidas restritivas adotadas pelo Governo do Estado para as festas de fim de ano ajudaram a evitar um crescimento excessivo de casos de infecção da Covid-19. No entanto, as próximas semanas serão de aumento de casos por conta da falta de conscientização das pessoas no período de veraneio.

“Neste período nos final de dezembro e início de janeiro identificamos taxas de transmissibilidade de 1.1 e 1.15. Três semanas depois teve uma redução dessa taxa com as medidas que foram tomadas e recomendações nos estabelecimentos. No entanto, a tendência para as próximas semanas é de aumento desse número”, diz o gestor.

Beltrammi também avaliou o cenário nacional em que muitos estados estão enfrentando um colapso tanto na rede pública como privada. “Estamos verificando com preocupação esse aumento dos casos de internação por covid-19 em outros estados. Nós seguimos acompanhando  a tendência ascendente, uma vez que a maioria não tomou nenhum tipo de medidas de controle no fim de ano. Eles acabaram não fazendo as recomendações necessárias. O alcance dos problemas não está só na rede pública. Em Manaus a rede pública está em colapso. Em São Paulo está em colapso a rede privada com alguns hospitais específicos. Nós seguimos com números maiores de casos. Mais números de casos, óbitos e internação”, alertou.

Ainda segundo o secretário, a ansiedade que toma conta das pessoas com a proximidade da chegada das vacinas deve também vir carregada de cautela e cumprimento das medidas sanitárias para que não se esqueçam de permanecer em prevenção. Beltrammi, assim como os demais gestores da pasta em todos os estados não soube precisar a quantidade de vacinas ou a data de sua chegada. “Aguardamos uma manifestação do Ministério da Saúde sobre quais e quantos lotes chegarão. Já enviamos diversos ofícios, os governadores deram um prazo até terça-feira da semana que vem. Até lá temos que aguardar”, explicou.

Os primeiros lotes das vacinas que chegarão na Paraíba são da Coronavac e a da FioCruz/Oxford do laboratório AstraZeneca. A expectativa é que a partir do dia 21 de janeiro as doses estejam sendo enviadas aos estados de forma simultânea pelo Ministério da Saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro − dois =