Devido ao aumento dos casos desde que reabriu os aeroportos em novembro, o governo de Cuba decidiu que irá permitir a entrada de menos voos oriundos dos Estados Unidos e de vários outros países a partir de 1º de janeiro.

O governo afirmou que cubanos que vivem fora do país e retornaram para visitar familiares, ou de viagens de compras, espalharam o vírus para parentes e outras pessoas ao quebrarem suas quarentenas.

Na lista de países com restrições estão, além dos Estados Unidos, México, Panamá, Bahamas, Haiti e República Dominicana.

De 1º de novembro até 23 de novembro, Cuba já havia registrado 3.782 de covid-19, dos quais 71,5% eram de visitantes ou de contatos diretos.

Enquanto isso, o governo anunciou que o famoso resort de praia de Varadero havia recebido 69 mil turistas estrangeiros durante o mesmo período sem que acontecesse um surto da doença.

Cuba atualmente testa seus visitantes na chegada e novamente após cinco dias se eles não estiverem se hospedando em hotéis. A partir do dia 10 de janeiro, os turistas também irão precisar demonstrar um teste negativo feito 72 horas antes da chegada no país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

13 + dois =