A Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) revelou que a procura de testes de Covid-19 do tipo RT-PCR na rede particular do Brasil cresceu 35% no último mês. De acordo com especialistas, a procura aumentou por causa do avanço de casos e das festas de fim de ano, porém é necessário lembrar que testes não garantem imunidade e que resultados negativos podem passar falsa sensação de segurança.

A Abramed representa laboratórios que processam cerca de 60% dos exames diagnósticos feitos na rede particular no Brasil.

Especialistas alertam que há casos em que o resultado pode dar positivo mesmo quando a pessoa está infectada. De acordo com o médico patologista e presidente da associação Wilson Shcolnik, em assintomáticos é possível que não haja partículas virais a ponto de positivar o exame molecular. “Nestes casos, podemos ter resultados falsos negativos, que podem dar uma falsa tranquilidade para encontros de finais de ano e viagens aéreas”, disse.

Farmácias também oferecem o teste feito com a saliva, o PCR-Lamp, que é mais barato que o PCR feito com a secreção do nariz e da garganta. Para o geneticista e pesquisador da USP, Luciano Brito, em termos de metodologia os dois testes são confiáveis, mas há ressalvas a serem feitas sobre o lamp.

“É possível que em determinados momentos da infecção, a saliva tenha uma caga viral menor do que a região da faringe”, ponderou Brito.

O teste RT-PCR é recomendado após o quarto dia de sintomas e detecta se a pessoa está infectada no momento do teste.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

3 × 1 =