Milhões de americanos desempregados viram o benefício que receberiam do governo expirar neste sábado (26) após o presidente Donald Trump se recusar a sancionar um pacote de US$ 2,3 trilhões em auxílios e gastos durante a pandemia, declarando que o texto não era suficiente para ajudar pessoas.

Trump surpreendeu tanto republicanos quanto democratas quando disse esta semana que estava insatisfeito com o enorme projeto de lei, que forneceria 892 bilhões de dólares em alívio pelo coronavírus, incluindo benefícios especiais de desemprego que expiram em 26 de dezembro, e 1,4 trilhão de dólares para gastos regulares do governo.

Sem a assinatura de Trump, cerca de 14 milhões de pessoas podem perder esses benefícios extras, de acordo com dados do Departamento de Trabalho. Uma paralisação parcial do governo começará na terça-feira, a menos que o Congresso chegue a um acordo sobre um projeto provisório de financiamento do governo antes disso.

Depois de meses de disputa, republicanos e democratas concordaram com o pacote na semana passada, com o apoio da Casa Branca. Trump, que entrega o poder ao presidente eleito democrata Joe Biden em 20 de janeiro, não se opôs aos termos do acordo antes que o Congresso o aprovasse na noite de segunda-feira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

cinco + 13 =