Nokia foi escolhida para liderar o Hexa-X, um programa europeu de pesquisa e desenvolvimento da tecnologia 6G. Segundo comunicado da empresa finlandesa, o objetivo da pesquisa é investigar casos de uso das redes de sexta geração, além de criar tecnologias de base e os fundamentos para implementação do sucessor do 5G.

O programa Hexa-X começa em janeiro de 2021 e tem duração prevista de dois anos e meio. As estimativas sobre o lançamento do 6G indicam que a tecnologia só deve se tornar uma realidade comercial em 2030. A expectativa é que as novas redes sejam até 8 mil vez mais rápida que o 5G.

O 6G ainda é um esboço e não há definições técnicas a respeito das suas capacidades finais, mas é esperado que as redes desse tipo usem frequências na casa dos terahertz, aumentando muito a velocidade da internet e reduzindo a latência das conexões.

Entre as aplicações, redes 6G poderiam permitir transmissão em tempo real de imagens holográficas e até mesmo conectividade de rede para auxiliar em implantes no corpo humano.

6G poderia ser usado até mesmo para auxiliar implantes no corpo humano — Foto: Divulgação/Samsung

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

três × 2 =