Antes de morrer e ainda agonizando no chão, a emprega doméstica Rosilene Jacinto Maciel, esfaqueada no pescoço durante um assalto, revelou a um vizinho que o homem que teria feito aquilo era de cor morena, tinha tatuagem e cavanhaque. A Polícia Civil já tem conhecimento dessas características e está em campo para prender o suspeito do crime.

A vítima chegou a ser socorrida pelo Samu mas faleceu ao dar entrada no Hospital de Emergência e Trauma, em João Pessoa. Rosilene era viúva, veio de Pedras de Fogo para a Capital há oito meses e passou a morar em pequeno cômodo, que fica nos fundos de uma floricultura em Santa Rita, em frente ao Coreto da Praça João Pessoa.

Ela trabalhava como empregada doméstica na casa dos proprietários do estabelecimento comercial. Rosilene estava sozinha no imóvel quando um homem invadiu o local para roubar uma TV de “40” polegadas. Ao perceber a presença do assaltante, ela teria gritado, pedindo socorro, quando foi esfaqueada e ainda ficou com a faca encravada no pescoço. Um vizinho desconfiou do silêncio no local, pulou o muro e encontrou a mulher agonizando. “Ela me contou ainda que o homem que teria feito aquilo com ela era moreno, com tatuagem e cavanhaque”, relatou.

O corpo de Rosilene foi sepultado na manhã deste segunda-feira (7) em meio a muita revolta e comoção. Ela deixa três filhos. A filha estava muito abalada com a morte da mãe e pedia justiça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

15 − 15 =