Há um mistério no ar em relação à Operação Calvário, na parte do processo que tramita no Superior Tribunal de Justiça. Como se sabe, este segmento dos autos diz respeito a autoridades com foro privilegiado na Paraíba, e tem como relator o ministro Francisco Falcão. Esta parte da Calvário, como se sabe, já afastou dois conselheiros do Tribunal de Contas do Estado: Arthur Cunha Lima e Nominando Diniz.

As investigações estão em segredo de Justiça, mas há indícios de que algo está para acontecer. Primeiro, Falcão teria despachado Carta de Ordem Notificatória a dois magistrados paraibanos. Explicando: Carta de Ordem é expedida por um magistrado de hierarquia superior para outro, de hierarquia inferior, executar algum ato. Se foi uma ordem expedida por Falcão, quem seria os magistrados notificados pelo ministro?

Segundo: depois, há um ofício expedido para diligências pela Polícia Federal, Isso pode significar que uma nova operação que estaria em vias de ocorrer no âmbito da Calvário? Essas ações do ministro-relator ocorreram depois que o processo, que se trata da Ação Penal 982, estava concluso para despacho, e após parecer do Ministério Público Federal.

Réus – Esta ação penal tem como réus, além de Ricardo Coutinho, Gilberto Carneiro e Daniel Gomes da Silva, também o conselheiro afastado Arthur Cunha Lima, o ex-deputado Arthur Cunha Lima Filho e o advogado Diogo Maia da Silva Mariz.

.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dois + dezenove =