O presidente Jair Bolsonaro se dirigiu nesta quinta-feira (22) ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e afirmou que o Brasil não aumentou impostos durante a pandemia do novo coronavírus nem aumentará quando a pandemia acabar.

Bolsonaro e Guedes participaram nesta quinta da cerimônia de formatura de novos diplomatas, no Ministério das Relações Exteriores.

No mês passado, o ministro da Economia afirmou que o país tem que desonerar a folha de pagamento das empresas e, para isso, precisa buscar “tributos alternativos”.

“Estamos simplificando impostos. O nosso país, Paulo Guedes, o governo federal não aumentou impostos durante a pandemia e não aumentará quando ela também nos deixar”, declarou Bolsonaro nesta quinta-feira.

Em 2 de agosto, Bolsonaro disse em uma entrevista que só haverá novo imposto se não houver aumento da carga tributária. Três dias depois, em 5 de agosto, Guedes afirmou que o sistema tributário brasileiro é um “manicômio” e que não aumentará carga de impostos.

‘Nova CPMF’

 

Paulo Guedes já defendeu em outras ocasiões a criação de um imposto sobre transações digitais, o que tem sido chamado de “nova CPMF“, em referência à extinta Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), contudo, já disse que acreditar que a proposta, se enviada ao Congresso, não será aprovada.

Em entrevista à GloboNews, Maia chegou a dizer que avaliava recriar a campanha “Xô, CPMF”, lançada em 2007 e que defendia o fim da CPMF.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

treze + sete =