O ministro do Desenvolvimento RegionalRogério Marinho, 56 anos, diz que o debate sobre eventual derrubada do teto de gastos públicos deve ser feito só em 2022.

Para Marinho, o momento agora não é apropriado para fazer alguma alteração na regra, aprovada em 2016. Ele acredita que o período ideal para avaliar a eficácia dessa política será durante a campanha da próxima eleição presidencial, em 2022. No período eleitoral, segundo o ministro, a discussão sobre limitar investimentos públicos será importante “para que haja legitimidade em qualquer mudança”.

“É uma discussão que certamente vai levar em consideração a realidade da aplicação da regra do teto ao longo de 5 anos. O 6º ano será 2022. E se o teto cumpriu suas funções iniciais”, afirma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

20 − dezessete =