Candidato a prefeito de João Pessoa pelo PSB, o ex-governador Ricardo Coutinho acaba de ter uma liminar negada pela ministra Laurita Vaz, relatora da Operação Calvário no Superior Tribunal de Justiça (STJ). A defesa do socialista pedia o relaxamento da cautelar que o impede de se ausentar da capital paraibana, sua comarca de origem.

Os advogados pediram que Ricardo tivesse “o direito de se ausentar semanalmente da comarca domiciliar de João Pessoa a Brasília, durante os dias úteis, com o fim de exercer as suas atividades laborativas, comprometendo-se em comunicar previamente ao juízo de origem”.

Coutinho tinha o objetivo de trabalhar na Fundação João Mangabeira, braço político do PSB, onde exerce a presidência. A ministra requereu informações complementares e pediu vista ao Ministério Público Federal (MPF).

Em agosto, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), beneficiou Ricardo com a retirada da tornozeleira eletrônica, mas manteve as demais medidas cautelares, como o recolhimento noturno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

15 − 12 =