Sob fogo cerrado, com direito a pedido de afastamento no Conselho Nacional do Ministério Público, o procurador da República Deltan Dallagnol está deixando o comando da Força-Tarefa da Operação Lava Jato, em Curitiba, para se dedicar a questões de saúde na família.

Deltan estava à frente da Força-Tarefa há seis anos. Nas redes sociais, o procurador da República confirmou a saída. “Sim, é verdade que estou de saída da coordenação da Lava Jato. É uma decisão difícil, mas o certo a fazer por minha família. Continuarei a lutar contra a corrupção como procurador e como cidadão. A Lava Jato tem muito a fazer e precisa do seu e meu apoio”, escreveu Dallagnol.

O comando passa agora a ser do procurador da República no Paraná, Alessandro José Fernandes de Oliveira, que passa a titularizar, por meio de permuta, o ofício ao qual foram distribuídas investigações da Lava Jato no Paraná.

Alessandro tem experiência no combate ao crime organizado, é membro com maior antiguidade na Procuradoria da República do Paraná a manifestar interesse e disponibilidade para coordenar os trabalhos no ofício ao qual está vinculado o caso. Com a troca, Deltan, que solicitou período de 15 dias para auxiliar na transição, deve assumir o ofício de Alessandro.

Nos últimos meses, a Força-Tarefa da Lava Jato vem sofrendo pressões, inclusive com ameaças de dissolução, por parte do procurador-Geral da República, Augusto Aras. ele chegou a dizer a que a Lava Jato era “uma caixa de segredos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

cinco × 5 =