Em entrevista ao programa Ideia Livre da TV Itararé, na noite desta terça-feira (25), o ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) revelou que o então governador Ricardo Coutinho (PSB) ofereceu dinheiro para que ele retirasse a candidatura ao Palácio da Redenção, em 2014.

Cássio disse que não aceitou e manteve a postulação, perdendo para o que chamou “rolo compressor” com o dinheiro da corrupção. “Em 2014, Ricardo Coutinho mandou dois emissários, oferecendo milhões para que eu não fosse candidato. Os fatos revelados na Operação Calvário podem me dar a garantia porque a proposta houve porque (Ricardo) é um bandido. Eu não estou à venda, tenho dignidade, tenho honra, durmo com a consciência tranquila”, ressaltou Cássio, que chamou o ex-governador de “ladrão” e “ex-presidiário”.

Ele disse que trabalhou muito pela Paraíba, por Campina Grande e pelo Brasil. “Tenho as mãos limpas. Não acordo de manhã preocupado com a Política Federal. Fui vítima de uma campanha de destruição de imagem com dinheiro público com dossiê, com a utilização de fake News, com mentiras e inverdades”, lembrou o tucano.

Rompimento Ricardo x João   

Durante a entrevista, Cássio falou do rompimento entre o ex-governador Ricardo Coutinho e atual governador  João Azevedo (Cidadania), após a deflagração da Operação Calvário, que prendeu o socialista e ex-secretários sob acusação de desvio de recursos de convênios com organizações sociais da saúde.

“Esse rompimento é falso, fajuto e artificial. É apenas uma estratégia de defesa. Eles se defenderão melhor passando a ideia de que estão rompidos. Mas a Paraíba foi enganada”, afirmou Cunha Lima.

Segundo Cássio,  “é óbvio que João Azevedo é o grande beneficiário, porque simplesmente ele ganhou um mandato de governador”. O ex-senador disse que a Paraíba “foi governada durante oito anos por uma quadrilha”.

Eleições municipais

Em relação ao pleito municipal deste ano, Cássio disse que vai apoiar a candidatura do deputado Ruy Carneiro (PSDB) à Prefeitura de João Pessoa e o ex-deputado Bruno Cunha Lima ao cargo de prefeito de Campina Grande. Todavia, avisou que a participação na campanha será mais virtual por conta do seu trabalho, no escritório em Brasília.

Ainda na entrevista, o tucano foi  indagado sobre a aliança do pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (Progressistas) , com o governador João Azevêdo. Cássio pontuou que cabe a Cícero se explicar à população pessoense.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um × um =