O PDT pediu hoje ao Supremo para afastar Paulo Guedes do Ministério da Economia, pelo fato de ser investigado pela Operação Greenfield, que apura possíveis fraudes em aportes de fundos de pensão num fundo de investimento criado e gerido pelo ministro antes do governo Bolsonaro.

Em depoimento, Paulo Guedes disse que sua gestão deu lucro para Funcef, Petros, Previ, Postalis, em investimentos feitos no FIP BR Educacional, criado por ele e que adquiriu a HSM
Educacional S/A, cujo dono também era Guedes.

 

Entre 2010 e 2012, no entanto, o patrimônio líquido do fundo caiu de 62,5 milhões para 39,5 milhões de reais, o que levou o Ministério Público Federal a investigar Guedes e os ex-gestores dos fundos de pensão por gestão fraudulenta ou temerária de instituições financeiras.

Em destaque:Paulo GuedesPDTSTF

Alguns deles, pontua o PDT, foram nomeados para a equipe econômica do ministro no atual governo, o que, segundo o partido viola os princípios da moralidade e impessoalidade.

“Há uma blindagem institucional quanto à matéria objeto de investigação pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal. Isso porque o Senhor Paulo Roberto Nunes Guedes exerce o mais alto cargo do Ministério da Economia e tem pessoas ligadas (parentes e ex-sócios) a ele nos mosaicos societários envolvidos em procedimentos investigatórios de caráter criminal”, diz a ação.

Ainda não foi sorteado um relator para a ação, que inclui um pedido de liminar.

PDT pede ao Supremo para tirar Guedes do governo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

13 − 1 =