Ele chegou como a maior contratação da história do futebol, lotou o Parque dos Príncipes para sua apresentação oficial, ganhou música especial da torcida e esgotou a venda de camisas com seu nome. Há três anos, Neymar vestia o uniforme do Paris Saint-Germain (PSG) criando a expectativa de um casamento feliz com o clube, ganhando muitos títulos e carregando a esperança de ser tornar o melhor jogador do mundo.

De 4 de agosto de 2017 até hoje, o atacante nunca esteve tão perto de alcançar tudo o que planejou.  Depois de desentendimentos com Cavani, lesões e uma frustrada tentativa de transferência para o Barcelona, o brasileiro praticamente foi descartado pelo clube e pela torcida. Porém, este ano, Neymar se tornou uma das figuras mais importantes do futebol europeu e carrega a confiança do time para a conquista inédita da Liga dos Campeões da Europa. Em seu site oficial, Neymar falou sobre a transformação desde que chegou a Paris.

“Esses três anos foram de muito aprendizado. Vivi tempos de alegria e outros complicados, especialmente quando fui impedido de jogar por causa das lesões. Com a ajuda de companheiros consegui superar e focar no que realmente importa para todos que é o nosso desempenho em campo traduzido em títulos. O torcedor, o clube, os fãs todos podem ver a entrega do nosso time em qualquer jogo”,

Nesta temporada, Neymar já conquistou quatro títulos: a Supercopa da França, o Campeonato Francês, a Copa da França e a Copa da Liga Francesa. Alcançou a marca de 74 gols em 85 jogos desde 2017 – incluindo amistosos -, ultrapassando Raí para virar o maior artilheiro brasileiro do clube. A redenção de Neymar em Paris pode vir com o maior triunfo da história do PSG.

“Acredito que vivo hoje meu momento mais especial no Paris. Formamos uma família em prol do grande objetivo que temos pela frente. Queremos marcar a temporada com a Champions. Vamos lutar por isso, porque nunca estivemos tão perto”, declarou..

Teoricamente, o caminho do PSG para a final da Liga dos Campeões não seria dos mais complicados. Escapou de pegar pela frente Barcelona, Juventus, Real Madrid, Chelsea, Bayern de Munique, Manchester City, Lyon e Napoli. O primeiro adversário é a Atalanta. Passando pelo time italiano, enfrenta  RB Leipzig ou o Atlético de Madrid na semifinal.

A chave pode parecer mais fácil, porém Neymar vai ter que jogar tudo o que sabe. Após lesão no ligamento do tornozelo direito, dificilmente Mbappé estará em campo no proximo dia 12 para enfrentar a Atalanta. Di María, suspenso, também não joga. Neymar, mais uma vez, precisa chamar a responsabilidade e mostrar a torcedores, clube, fãs e imprensa, que o investimento do PSG feito há três anos valeu a pena.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

13 − treze =