A Dataprev, empresa que faz o cruzamento de dados dos trabalhadores que fazem o pedido do Auxílio Emergencial, encaminhou à Caixa Econômica Federal novo lote para pagamento. São 805.318 pedidos analisados e aprovados após contestação do resultado. Esses requerimentos foram feitos por meio do aplicativo e site do Auxílio entre 23 de abril e 19 de julho.

Os solicitantes podem conferir os resultados dos seus requerimentos no portal de consultas da Dataprev. A Dataprev não informou previsão de pagamento para esses novos aprovados.

G1 entrou em contato com a Caixa Econômica Federal e Ministério da Cidadania para saber quando o pagamento do benefício será feito a mais esse lote de aprovados e aguarda resposta.

Atualmente, 903.719 pessoas estão com os cadastros classificados como “inconclusivos” nos sistemas e ainda podem complementar as informações pessoais por meio do aplicativo e site do Auxílio. Outros 123.007 cadastros estão em processamento pela Dataprev – 0,08% de todo cruzamento de dados realizado.

Com mais esse lote de aprovados, o número de beneficiários elegíveis para receber o Auxílio Emergencial chegou a 66,9 milhões, incluindo os três grupos do programa: Informais, Bolsa Família e Cadastro Único:

  • 37,22 milhões são os inscritos pelo app e site
  • 19,22 milhões são beneficiários do Bolsa Família
  • 10,49 milhões são do CadÚnico

Desde o início do programa, 150,5 milhões de requerimentos foram processados e a Dataprev finalizou o processamento de 99,92% de todos os pedidos.

A atuação da Dataprev no reconhecimento do direito do cidadão está restrita apenas à primeira parcela do benefício. A reavaliação dos cadastros e autorização para pagamento das demais parcelas são hoje realizadas pelo Ministério da Cidadania.

O cruzamento de dados pela Dataprev é feito com as informações disponíveis de várias bases oficiais. Casos de fraude e resultados diferentes do esperado não estão ligados ao trabalho de processamento da empresa. As conclusões dos pedidos dependem:

  • da veracidade das informações autodeclaradas pelo cidadão;
  • da abrangência, precisão e atualidade das informações que estão nas bases oficiais.

Calendário de pagamentos

A Caixa Econômica Federal paga nesta terça-feira (27) a quarta parcela do Auxílio Emergencial para 1,9 milhão beneficiários do Bolsa Família qualificados no programa, cujo número do NIS termina em 7. Os pagamentos para esse grupo são feitos da mesma forma que o Bolsa.

Para os demais beneficiários do Auxílio Emergencial, a quarta parcela começou a ser paga na última quarta-feira (22). A data é para aqueles que estão no Cadastro Único, e para os inscritos por meio do aplicativo e do site que receberam a primeira parcela até 30 de abril.

Os demais aprovados também receberam a partir de 22 de julho: aprovados no segundo lote receberam a terceira parcela; aprovados no terceiro e quarto lotes receberam a segunda; e novos aprovados receberam o primeiro pagamento.

O calendário de pagamentos deste ciclo segue o mês do aniversário do beneficiário, e o calendário segue até 26 de agosto. Veja o calendário completo.

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

Bloqueio de contas

Caixa suspende contas do auxílio emergencial por suspeita de fraude

Caixa suspende contas do auxílio emergencial por suspeita de fraude

A suspeita de fraudes no pagamento do Auxílio Emergencial levou a Caixa a bloquear ‘centenas de milhares’ de contas contas poupança digital do banco, movimentadas pelo Caixa Tem e usadas para o crédito do benefício.

De acordo com Pedro Guimarães, presidente da Caixa, a maioria das contas bloqueadas foram utilizadas por hackers, que se aproveitaram da liberação para utilizar um mesmo celular para cadastrar vários pedidos do Auxílio Emergencial. Ele ressaltou, no entanto, que pessoas honestas também foram penalizadas pela medida de bloqueio.

O Ministério da Cidadania informou que 1.303.127 milhão de CPFs foram enviados à Caixa para bloqueio e realização de uma verificação detalhada por suspeita de fraudes. Não é possível ainda afirmar que esses CPFs sejam considerados cancelados ou inelegíveis para receber o benefício.

Mas, segundo o presidente da Caixa, há uma separação de fraudes constatadas pela Caixa e pelo Ministério. Segundo ele, os CPFs em questão têm problemas de natureza de cadastro e elegibilidade para o Auxílio Emergencial, e pertencem a um banco de dados que a Caixa não acessa. Guimarães diz que o banco apenas acata a decisão do Ministério para realizar pagamentos. Os bloqueios realizados pela Caixa são de fraudes operacionais, como criação de contas cujo dinheiro foi desviado.

Em resposta às fraudes identificadas, o banco dividiu as contas bloqueadas em dois grupos, que recebem mensagens diferentes pelo app de acordo com o problema identificado pelo banco. As fraudes propriamente ditas são 51% do total. As inconsistências cadastrais, 49%.

Os trabalhadores que tiveram as contas suspensas e receberam no aplicativo Caixa Tem a mensagem “É necessário regularizar o seu Acesso. Procure uma agência, de acordo com o seu calendário de recebimento”, devem procurar a agência para comprovar sua identidade de acordo com um calendário. São essas as pessoas cujas contas estão sob suspeita de fraude.

O banco também bloqueou acesso de contas por inconsistências de documentação, que podem ser resolvidas pelo próprio app Caixa Tem. Esse grupo não precisa ir pessoalmente à agência e pode resolver pelo aplicativo.

É preciso fazer um novo acesso ao Caixa Tem e enviar o restante da documentação pedida. No menu “Liberar Acesso”, o beneficiário receberá uma mensagem dizendo “Para finalizar a validação do seu cadastro, vamos precisar que envie seus documentos pelo WhatsApp”. Em seguida, um outra diz “Para iniciar a conversa, clique no link abaixo e mande a palavra CADASTRO”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

vinte − 10 =