Enquanto a OAB de Santo André tenta atenuar o absurdo perpetrado pelo desembargador Eduardo Siqueira contra o guarda civil de Santos que disse ao magistrado para pôr máscara enquanto caminhava na praia, Marco Aurélio Mello afirmou a Josias de Souza estar “estarrecido” com o comportamento do desembargador.

Ele contou, inclusive, como reagiu quando foi parado, juntamente com a sua mulher, por um policial de trânsito, em Brasília, quando voltava de um show musical:

“Fomos parados por uma patrulha de trânsito, na entrada da minha quadra. O guarda me reconheceu. Disse: ‘Ministro, o senhor me perdoe, mas poderia me passar os seus documentos?’ Atendi imediatamente. Ele perguntou: ‘O senhor se importa de soprar o bafômetro, ministro?’ Eu disse a ele: cumpra o seu dever. Não me ocorreu dar nenhuma carteirada. Ali, eu era um cidadão. A autoridade era o guarda de trânsito.”

Marco Aurélio Mello também disse:

“Ele (o desembargador Eduardo Siqueira) é tido como um sujeito complicado. O Órgão Especial já esteve para afastá-lo. Mas acabou não tomando a iniciativa. Talvez tenha claudicado. O passado desse rapaz não o recomenda. Se é que podemos considerá-lo rapaz… Pela falta de juízo, talvez.”

O Antagonista confirma que a opinião de Marco Aurélio Mello é a mesma de colegas do desembargador na Justiça Federal de São Paulo.

Marco Aurélio Mello está “estarrecido” com desembargador

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

doze + 1 =