Quando estreou na TV, ele era apenas um menino. Aos 10 anos, interpretou o papel de Daniel, filho de Tony (Guilherme Fontes), que sonhava em ver os pais juntos novamente. A torcida do personagem, porém, mudou com a chegada de Cristal (Sandy) na trama, com quem ele dividiu várias cenas no folhetim. Hoje, aos 30 anos, Netinho Alves guarda com muito carinho os tempos de “Estrela-guia”, disponibilizada no Globoplay, e conta que sente saudades da época:

“O que passa na minha cabeça é saudade, muitas saudades. Não tem um dia na minha vida que eu não me lembre que já fiz novela, que pude realizar esse meu sonho ainda criança”, conta ele, que começou a fazer teatro aos 7 anos e chegou a protagonizar um filme, “Diabo a quatro”, quando tinha 12.

A relação com Sandy e Junior, ele conta, era profissional. Diz que eram “parceiros de trabalho” e que nunca foi a um show da dupla. Situação diferente do que aconteceu entre Netinho e a atriz Rosamaria Murtinho, que interpretou sua avó na novela. A amizade se manteve durante os anos e o ator diz que considera a artista sua “avó postiça”.

“Aprendi e aprendo até hoje com a Rosamaria Murtinho. Ela virou minha avó do coração na vida real. Eu a amo de paixão, tenho uma gratidão imensa por tudo que ele fez e faz por mim. Aprendi com ela muitas coisas que sei da vida. Temos uma linda história de amizade e parceria. A gente se fala todos os dias! Estou morrendo de saudades dela e do Maurão (Mauro Mendonça), mas eles estão de quarentena 100%… Nem os filhos eles têm visto.”

Atualmente, Netinho tem uma vida confortável. Conta que possui uma imobiliária que aluga e comercializa imóveis de alto padrão no Rio, área em que atua há cerca de dez anos. Acrescenta que, graças a seu trabalho, conquistou a vida que sempre quis. Mas, na história do ator, nem sempre foi assim, principalmente durante a sua adolescência.

“Na verdade, a minha força vem de um Deus que faz milagres. Fez e faz na minha vida… Foram tantos livramentos, inclusive da morte. Por muitas vezes quis me matar, por eu ser gay, filho de pastores. Era muito ligado à religião e paradigmas… Hoje esses fantasmas não existem mais. Foram muitas feridas que ficaram abertas durante anos, de pessoas da minha família, do colégio e de amigos que passaram pela minha vida. Mas, graças a Deus, somente a Ele mesmo, consegui vencer isso tudo”, relembra ele, que acrescenta estar completamente recuperado da depressão que sofreu neste ano.

Netinho afirma que, com os caminhos profissionais que sua vida tomou, faltou tempo para se dedicar à atuação. Coisa que ele quer voltar a fazer: “Pretendo muito voltar. Muito mesmo. Amo os veículos que envolvam a arte, seja TV, cinema, séries, comerciais, teatro ou publicidade em geral”.

Ele acrescenta que está solteiro e aberto a um relacionamento, mas, ao pontuar isso, reconhece que o trabalho toma muito de seu tempo. Nunca namorou, confidencia o ator. Reitera, porém, que é muito grato pelo que a vida tem lhe proporcionado.

“Sou bem dedicado ao trabalho. E, depois de tudo que eu passei na minha adolescência, só peço a Deus que a vida continue sendo generosa comigo, me livrando de todos os males e conquistando os meus sonhos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dez − 2 =