O Ministério da Saúde informou nesta quinta-feira (16) que o Brasil superou a marca de 2 milhões de casos confirmados da Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. Foram 45.403 novos registros de infecção nas últimas 24 horas – o total está em 2.012.151. Com 1.322 novos óbitos, o país tem 76.688 mortos pela doença.

O presidente também lamentou que a medida provisória (MP) 910, que tratava da regularização fundiária e ficou conhecida como “MP da grilagem”, não tenha sido votada no Congresso, o que fez com que ela caducasse. Para Bolsonaro, a votação da MP não foi pautada porque “a esquerda ainda tem uma influência muito grande dentro do Parlamento”, e citou partidos como PT, PDT, Rede Sustentabilidade, PCdoB e PSOL como responsáveis pela pressão que levou à caducidade da proposta.

“Se tivesse sido aprovada (a MP 910), essas áreas seriam regularizadas e, uma vez detectado o foco de calor ou queimada, teria como saber se foi dentro da reserva legal, ou não, e quem é o dono daquela área, e aí você puniria”, afirmou. Apesar disso, Bolsonaro assumiu o compromisso de diminuir as queimadas, mas falou que elas “não vai acabar nunca”.

O número de recuperados está em 1.296.328 – 639.135 estão em acompanhamento. A taxa de letalidade da doença está 3,8%. O estado de São Paulo ainda é o mais afetado pelo vírus desde o início da pandemia, com 402.048 casos e 19.038 mortes. Alguns estados, como Salvador e São Paulo, já consideram o adiamento de eventos como Carnaval e Ano Novo.  As regiões Sudeste, Norte e Nordeste são as mais afetadas pela pandemia. São quase 35 mil mortes e 689.209 casos confirmados no Sudeste do país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

1 × três =