O presidente Jair Bolsonaro é alvo de um novo pedido de impeachment que está sendo encaminhado hoje ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O documento conta com assinaturas de personalidades famosas como o cantor e escritor Chico Buarque de Holanda e o ex-jogador Walter Casagrande. O humorista Gregório Duvivier, o economista Bresser-Pereira e o pare Júlio Lancellotti também subscrevem o pedido, ao lado de entidades como a Central Única dos Trabalhadores, União Nacional dos Estudantes e Instituto Socioambiental (ISA).

O documento de 133 páginas acusa o presidente de cometer diversos crimes de responsabilidade ao longo do seu governo, como ataques contra a imprensa, más condutas na área ambiental e falha na atuação contra a Covid-19. “As políticas de saúde foram severamente afetadas pela atuação criminosa de Jair Bolsonaro. Além da desarticulação do Sistema Único de Saúde (SUS), que já vinha sendo posta em prática no primeiro ano de gestão, a pandemia da Covid-19 escancarou o desprezo do atual governo pela proteção à saúde da população”, diz o texto. A informação é da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo.

Pelo menos 48 denúncias foram protocoladas contra Bolsonaro desde o início do seu governo, em janeiro de 2019. Dessas, 43 foram formuladas em 2020. No geral, a maioria aponta possível crime de responsabilidade em questões que envolvem a democracia. Por outro lado, a deputada federal Carla Zambelli, do PSL-SP, manifestou-se através de redes sociais convocando seus seguidores para um ato pró-Bolsonaro, que acontecerá no próximo domingo, dia 19. “Neste domingo está confirmado ato em prol do Brasil, em apoio ao governo Bolsonaro e pela liberdade no nosso país”, escreveu a deputada. O assunto foi um dos mais comentados do Twitter nesta terça-feira. Outros deputados bolsonaristas como Carlos Jordy, Major Fabiana e Anderson Moraes também repercutiram a convocação para o ato.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 + 3 =