A cidade de Rio Grande entrou no pior cenário possível na pandemia do coronavírus. Durante uma live, na manhã deste sábado (4), o prefeito do município, Alexandre Duarte Lindenmeyer, pediu ajuda da população.
“Mais do que nunca, precisamos conscientização dos cidadãos de Rio Grande para superar esse momento de tamanha gravidade”, afirmou ele. “O distanciamento social é fundamental, é preciso que as pessoas fiquem em casa e só saiam para a rua em caso de compra de alimentos ou alguma outra situação essencial.”
No transcorrer do final de semana, os efeitos da decisão serão aprofundados. A mudança de bandeira ocorre após análise qualitativa dos indicadores de classificação, realizada pelo Comitê Técnico de Saúde daquele município (formado por representantes do poder público, e de universidades e hospitais). O objetivo é tentar evitar a propagação do vírus. Somente na sexta-feira foram registrados 51 novos casos e um óbito (o sétimo na cidade).
“Ressaltamos que supermercados e farmácias são considerados essenciais, então não terá fechamento dessas atividades, muito menos desabastecimento”, destacou Lindenmeyer.
Um dos fatores decisivos para a mudança de classificação é a falta de medicamentos para pacientes de Covid-19 na cidade. “Estamos aumentando o número de testes, e buscando frear a disseminação do vírus, e a questão da falta da medicação é grave, porque mesmo com leitos, sem remédio não tem como tratar o paciente. Já estão buscando formas de resolver este problema”, completou o secretário de Desenvolvimento, Inovação, Emprego e Renda de Rio Grande, Claudio Dutra.
O decreto de bandeira preta será publicado neste domingo (04/07), com vigência de uma semana a partir de segunda-feira (05/07). Após este período, o Comitê deve avaliar se mantém a classificação por mais uma semana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezesseis + 15 =