O Esporte Espetacular da TV Globo mostrou, neste domingo (5), que a vice-presidente da Federação Paraibana de Futebol, Thalyta Gomes, neta de Rosilene Gomes, ex-presidente da FPF (a qual comandou a entidade por mais de 20 anos), recebeu auxílio emergencial mesmo sendo herdeira de empresas da família e tendo um microônibus em seu nome.

Ainda segunda a reportagem do EE, três jogadores, o dirigente de registros da FPF, Gerson Júnior, e as irmãs do jogador Hulk foram beneficiados com o auxílio emergencial. Gilvânia recebeu duas parcelas de R$ 600. Givanilda Vieira, Jessica Kelly e Mayara Kessia receberam, cada uma, parcelas de R$ 1.200, por terem se declarado mães solteiras.

O EE mostrou que Jessica estuda Biomedicina em uma faculdade particular, que Mayara é vendedora de roupas e acessórios. Ainda segundo o programa da Globo, Mayara, Jessica e Gilvânia vivem em casas de bairro de classe média em Campina Grande. Givanilda vive em casa de alto padrão e é sócia de loja de roupas com capital social de R$ 160 mil.

A TV Globo não conseguiu contato com as irmãs de Hulk e destacou que o jogador repudiou a atitude das irmãs em se cadastrar para receber o auxílio emergencial.

O dinheiro está sendo concedido a pessoas em vulnerabilidade social durante a pandemia do novo coronavírus. Mas a Controladoria Geral da União (CGU) está descobrindo cadastros ilegais de pessoas que não precisam da verba de R$ 600 (R$ 1.200 para mães solteiras) e está cobrando reparação.

Ao Esporte Espetacular, os jogadores do Botafogo-PB, Rhuan e Jean, disseram que não sabiam que não poderiam receber e vão devolver os valores. Rogério não quis se manifestar.

Thalyta Gomes, vice-presidente da FPF, respondeu ao Esporte Espetacular que solicitou o auxílio dentro dos parâmetros legais, mas que, para evitar dúvidas e discussões, vai devolver o dinheiro recebido.

Gerson Júnior, diretor de registros na FPF, tem três veículos no nome dele, de acordo com a reportagem. Questionado pelo EE, ele confirmou que recebeu o auxílio e desligou o celular ao ser questionado do recebimento mesmo sendo dirigente na FPF.

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou que o MPF investigue as irregularidades no recebimento do auxílio emergencial e dê início a ações criminais contra fraudadores. Os órgãos fiscalizadores já encontraram, no país, 620 mil cadastrados irregulares. O prejuízo supera R$ 1 bilhão. Na Paraíba são mais de dois mil beneficiados com o auxílio, mesmo possuindo casas, carros, embarcações.

Assista à reportagem do Esporte Espetacular na íntegra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

4 × 5 =