FLORIANÓPOLIS, SC (FOLHAPRESS) — O presidente Jair Bolsonaro sobrevoou na manhã deste sábado (04) regiões em Santa Catarina que sofreram danos pelo ciclone bomba que atingiu a região Sul no início da semana.

Bolsonaro desembarcou do Aeroporto Internacional de Florianópolis Hercílio Luz às 8h25, cumprimentou a comitiva de deputados que aguardava o presidente próximo à pista de pouso e embarcou no helicóptero da Força Aérea Brasileira. Menos de uma hora depois, o helicóptero retornou ao pátio do Aeroporto e Bolsonaro se reuniu com políticos locais.

Em entrevista à afiliada da Record em Santa Catarina, o presidente falou sobre as áreas atingidas: “Passamos por alguns pontos que foram atingidos por esse ciclone. Realmente é uma imagem triste. Somos solidários aos familiares que perderam seus parentes. […] Nos colocamos a disposição dos governadores e prefeitos para recuperar e mitigar os problemas ocasionados por esse ciclone”.

Com diagnóstico positivo para o novo coronavírus, o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), participou da reunião por meio de videoconferência. Moisés informou que o foco do Estado é de assistência aos atingidos e ainda não há o levantamento de custos dos danos.

“Nós temos que ter a noção exata de quanto custa”, disse Moisés. “Até que a gente tenha precisão em relação a esses valores para que não haja desvios e para que todas as coisas sejam feitas da melhor forma possível e com a maior transparência possível”.

O presidente sobrevoou as cidades de Tijucas e Governador Celso Ramos, áreas que tiveram mais estragos com a tempestade.

De acordo com o Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas, os recursos serão anunciados após a avaliação dos danos.

“A Defesa Civil trabalha com a demanda dos municípios. Então é preciso agora fazer um rápido levantamento de danos para que a gente possa liberar os recursos a partir desse montante”, afirmou.

O presidente era esperado para um pronunciamento após a reunião, mas retornou à Brasília sem dar entrevista aos jornalistas. Havia a expectativa de anúncio de apoio financeiro do governo federal para a reconstrução dos danos causados pelo ciclone.

O ciclone bomba atingiu a região Sul entre terça e quarta-feira (1º) e Santa Catarina foi o estado mais atingido.

Segundo a Defesa Civil estadual, nove pessoas morreram e duas seguem desaparecidas. Os ventos que atingiram a velocidade 134 km /h causaram mais de 1.600 ocorrências de estragos em 152 municípios catarinenses.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

catorze + 7 =