A decisão de Célio Alves de permanecer na Secretaria do Orçamento Democrático Estadual continua gerando discussões. O Blog do Galdino já mostrou alguns tópicos que elucidaram os possíveis motivos do radialista recuar, e desistir de concorrer a Prefeitura de Guarabira nas eleições deste ano. Um novo episódio ganhou destaque nos últimos dias, forçando a permanência de Célio na pasta, lhe impedido de se tornar um candidato a prefeito na cidade.

Existe um processo de violência doméstica contra o radialista Célio Alves, já transitado em julgado e não cabe mais recurso, ou seja, encontra-se em cumprimento da pena. Célio é acusado de “ameaçar” sua ex-esposa, enviando para a mulher um vídeo íntimo dele com a vítima. O nome da mulher será mantido em sigilo. O processo não cabe mais recurso, desta forma, Célio já cumpre a sanção do juiz em liberdade.

Vale ressaltar que Célio já recebeu a guia definitiva da execução da pena através do Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, da Comarca de João Pessoa. A Justiça lançou o nome do radialista no rol dos culpados. O Poder Judiciário também comunicou a Justiça Eleitoral sobre a condenação de Célio, e determinou a suspensão dos direitos políticos do radialista.

Insatisfeito com a decisão, Célio impetrou um Habeas Corpus na tentativa de mudar a situação, o que não foi possível. O habeas corpus não foi reconhecido pelo Tribunal de Justiça da Paraíba que manteve a condenação do secretário.  Inclusive, Célio procurou a Defensoria Pública para lhe defender no processo.

Com essa decisão, Célio Alves foi impedido de concorrer às eleições municipais, criando o discurso de permanência no ODE, sendo sua única alternativa de “abafar” a condenação contra ele. Conforme uma pesquisa, identificamos que o título eleitoral do radialista, de fato, está suspenso.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × dois =