Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

O governador Ronaldo Caiado (DEM) pediu apoio a prefeitos para o fechamento do comércio por 14 dias. Ele informou que deve publicar, ainda nesta segunda-feira (29), um decreto complementar para definir quais atividades devem parar. No entanto, apesar da orientação do governo, cada prefeito tem autonomia para decidir qual medida adotará no combate ao coronavírus.

A declaração de Caiado foi dada após a Universidade Federal de Goiás (UFG) divulgar um novo estudo que estima um colapso hospitalar em julho, com a necessidade de 2 mil leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e 18 mil mortes por Covid-19 até setembro. A UFG propôs a estratégia chamada 14 por 14, ou seja, o comércio ficaria fechado 14 dias, e, posteriormente, 14 dias em funcionamento, até a estabilização dos casos de coronavírus.

“Se tivesse autonomia do Supremo, decretaria fechamento do comércio no esquema 14 por 14, em Goiás”, disse o governador.

No dia 15 de abril, o Supremo Tribunal Federal decidiu que os municípios têm poder para determinar regras de isolamento, quarentena e restrição de transporte e trânsito em rodovias em razão da pandemia. O governador ponderou, nesta manhã, que os prefeitos precisam rever as flexibilizações e ofereceu apoio da polícia, caso eles queiram adotar o fechamento já a partir de terça-feira (30).

“Isso é imoral, desumano, eu não posso aceitar que haja omissão de autoridades. A responsabilidade é de todos nós. Cada prefeito e cada prefeita vai responder pelo caos nos seus municípios. Reflitam bem, analisam bem. Fornecerei as minhas polícias a todos os prefeitos que quiserem que haja cumprimento 14 por 14”, disse o governador.

O governador disse ainda que aguarda o posicionamento das autoridades municipais, seja publicamente ou por e-mail, para oferecer o suporte necessário para o fechamento do comércio.

A UFG afirma que o ideal seria o fechamento completo, o chamado lockdown, para reduzir ao máximo a quantidade de óbitos. De qualquer forma, a estratégia 14 por 14 salvaria, em média, 9 mil vidas até setembro, segundo a universidade.

“Trago outra opção intermediária, de 14 dias de fechamento agressivo com 14 dias de abertura, alternando até setembro. Essa medida não serve para todos os municípios a qualquer momento. Estou mostrando para o estado de Goiás como exemplo de uma estratégia coordenada e inteligente que poderia ser adotada para que a gente não colapse os hospitais. É preciso dizer que tem municípios que não precisam fazer um lockdown agora e que outros precisam fazer acima de 14 dias. É preciso estudar caso a caso”, disse o pesquisador da UFG Thiago Rangel.

Casos de coronavírus

Assim como houve o aumento de casos em Goiás, o mesmo é registrado em outros estados do Centro-Oeste. Por isto, o Distrito Federal anunciou nesta segunda-feira (29) a situação de calamidade pública. Já em Mato Grosso se formou o que os especialistas chamam de onda de contágio, que esgota leitos, recursos e profissionais de saúde. Mato Grosso do Sul soma mais de 7,5 mil casos.

Conforme último boletim epidemiológico, divulgado no domingo (28), Goiás tinha mais de 22 mil casos confirmados de coronavírus, sendo 435 mortes.

Na live desta manhã, o secretário Estadual de Saúde, Ismael Alexandrino, lamentou mais nove mortes na noite de domingo para esta segunda-feira só no Hospital de Campanha (HCamp) de Goiânia, destinado ao atendimento de pessoas com suspeita ou confirmação de Covid-19.

G1 entrou em contato com a assessoria do HCamp para pedir um posicionamento sobre as mortes. O hospital informou que, por enquanto, vai divulgar apenas que, desses nove mortos, a maioria foi por coronavírus. A unidade não sabia estimar um número exato até as 11h31 desta segunda-feira.

Entenda o que é lockdown

Embora não tenha uma definição única, o lockdown é, na prática, a medida mais radical imposta por governos para que haja distanciamento social – uma espécie de bloqueio total em que as pessoas devem, de modo geral, ficar em casa.

Veja as diferenças dos termos relacionados à reação à pandemia de Covid-19:

  • Isolamento social – é, em princípio, uma sugestão preventiva para todos para que as pessoas fiquem em casa
  • Quarentena – é uma determinação oficial de isolamento decretada por um governo
  • Lockdown – é uma medida de bloqueio total que, em geral, inclui também o fechamento de vias e proíbe deslocamentos e viagens não essenciais
Hospital de Campanha em Goiânia tem nove mortes de domingo para segunda-feira — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Hospital de Campanha em Goiânia tem nove mortes de domingo para segunda-feira — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Compartilhe e nos ajude a continuar com o projeto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezessete − 2 =