O grupo da Lava Jato na PGR acaba de pedir demissão coletiva por discordar da gestão de Augusto Aras. A gota d’água foi a manobra de sua auxiliar, Lindora Araújo, que copiou bancos de dados sigilosos das investigações da Lava Jato, informalmente e sem apresentar documentos ou justificativa.

“Aras atua como advogado, não como procurador”, diz um dos integrantes do grupo. Segundo ele, o PGR vem atuando para desmoralizar a Lava Jato e enterrar investigações. E os inquéritos que interessam politicamente são restritos aos assessores do gabinete e a Lindora, considerada alinhada ao bolsonarismo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

11 − sete =