A Polícia Federal foi às ruas no início da manhã desta terça-feira (16) para cumprir mandados de busca e apreensão dentro do inquérito que investiga atos antidemocráticos. As medidas foram autorizadas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator do caso.

Ao todo, são 21 mandados, e os alvos estão em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão e Santa Catarina.

O objetivo do inquérito é apurar a organização e o financiamento dos atos, que atacam e ameaçam instituições como o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF), o que é inconstitucional.

Alvos

Um dos alvos é o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), aliado do presidente Jair Bolsonaro. Ele disse no Twitter que a Polícia Federal estava em seu apartamento e que isso ocorre porque ele está “incomodando algumas esferas do velho poder”.

Outro alvo é Allan Santos, dono do canal Terça Livre na internet, também apoiador de Bolsonaro. Ele afirmou que os policiais apreenderam seu celular e equipamentos de gravação.

A polícia também cumpriu mandados contra o empresário Luis Felipe Belmonte. Ele é um dos financiadores e principais organizadores do Aliança, partido que Bolsonaro pretende criar.

Um quarto alvo é o publicitário Sérgio Lima, que também atua no Aliança.

Prisões na segunda-feira

Nesta segunda-feira (15), a extremista Sara Giromini foi presa em uma ação dentro do mesmo inquérito. Ela foi uma das coordenadoras de um acampamento de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro na Esplanada dos Ministérios. O grupo admitiu que tinha armas no acampamento e fez atos de ameaças ao Congresso Nacional e ao STF.

Além de Sara, outras cinco pessoas foram presas na segunda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

doze + 2 =