O ministério da Unificação, que trata das relações entre as duas Coreias, informou que a Coreia do Norte explodiu nesta terça-feira (16) o escritório conjunto de coordenação de relações com a Coreia do Sul, na cidade fronteiriça de Kaesong. Ação, que é muito simbólica, eleva a tensão em um momento em que as negociações sobre o programa nuclear estão paralisadas.

A explosão do escritório ocorreu às 14h49 no horário local (2h49 em Brasília), de acordo com o ministério da Unificação. A imprensa sul-coreana relatou que pouco antes disso, foi registrada uma explosão no complexo industrial onde o escritório está localizado.

O escritório de ligação inter-coreano foi inaugurado em 2018 como parte de uma série de projetos que visam reduzir as tensões entre as duas Coreias. O imóvel dispunha de escritórios separados para o Norte e o Sul, assim como uma sala de conferências comum.

O local permanecia aberto 24h por dia, durante todo o ano, porém estava fechado desde janeiro devido à pandemia do novo coronavírus.

De acordo com a agência oficial de notícias da Coreia do Norte, o país destruiu o escritório porque seu “povo enfurecido” estava determinado a forçar aqueles que abrigaram a “escória humana” a pagar caro por seus crimes. Aparentemente, a mensagem faz referência a desertores norte-coreanos que, durante anos, lançaram panfletos fazendo críticas contra Pyongyang, a Capital da Coreia do Norte.

Os panfletos, lançados com balões na direção do território norte-coreano ou dentro de garrafas enviadas pelo rio que estabelece a fronteira, contêm críticas a Kim Jong-un na área dos direitos humanos ou por seu programa nuclear.

A escala se acentuou na semana passada, quando o regime norte-coreano anunciou o fechamento dos canais de comunicação com o “inimigo” sul-coreano.

Sem revelar qual ação tomaria, Kim Yo Jong, irmã de Kim Jong Un, disse no sábado (13) à mídia estatal que havia ordenado ao departamento encarregado dos assuntos inter-coreanos que realizasse de maneira decisiva a próxima ação, ameaçando com uma “cena trágica” no “inútil” escritório de ligação conjunta norte-sul.

Além disso, a Coreia do Norte ameaçou abandonar o acordo bilateral de redução de tensão, firmado em 2018. Segundo observadores, isso pode permitir que o Norte desencadeie confrontos nas fronteiras terrestres e marttimas.

O presidente da Coreia do Sul apelou nesta segunda-feira (15) para que a Coreia do Norte parasse com as animosidades e retornasse as negociações, e que as Coreias não deveriam rever os acordos de paz já firmados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 × dois =