O laudo sobre o acidente com uma ambulância que tombou na BR-230 mostra que o veículo estava com pneus desgastados e que os passageiros não usavam cinto de segurança na parte traseira do automóvel, segundo informou a perita Amanda Melo. No acidente registrado em 12 de maio deste ano, morreram a idosa de 91 anos que estava sendo levada ao Hospital Metropolitano, em Santa Rita, e o enfermeiro Patrick Villarim, de 44 anos.

A ambulância tombou ao bater na guia de contenção na curva acentuada que há entre a BR-101 e a BR-230, nos limites entre Santa Rita e Bayeux, no caminho para Campina Grande. Ainda de acordo com a perita Amanda Melo, em entrevista ao JPB1 da TV Cabo Branco, o veículo não capotou, mas sim, tombou após bater na guia.

Na época do acidente, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a ambulância especializada em atendimento para pacientes com suspeita de Covid-19, seguia da UPA de Cruz das Armas para o Hospital Metropolitano, em Santa Rita. Ainda de acordo com a PRF, estava chovendo muito e o veículo aquaplanou na pista antes de tombar na lateral da rodovia.

O condutor da ambulância e o médico foram socorridos para o Hospital de Trauma de João Pessoa. O Corpo de Bombeiros também foi acionado para ajudar no socorro às vítimas. A família da idosa seguia em um carro atrás e viu todo o acidente. Eles não sofreram nenhum ferimento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

13 + nove =