O Conselho de Ética da Câmara do Rio recebeu ontem um pedido de cassação do
vereador Carlos Bolsonaro. O documento é assinado por Leonel Brizola,
vereador pelo Psol. Alega que Carlos ignora o decoro parlamentar em suas
manifestações. Lembra, por exemplo, de quando o filho do presidente sugeriu
que Brizola “queima ou cheira” ou da insinuação de que vereadores do Psol
usam drogas. Cita também o dia em que o vereador disparou xingamentos aos
colegas durante uma sessão virtual.
“Carlos Bolsonaro, como o pai, não está preocupado com o sofrimento do povo.
Tudo que faz nas sessões é criar confusões, xingar os colegas e atrapalhar o
andamento dos trabalhos”, argumentou Brizola.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezoito − 12 =