O Ministério Público de São Paulo confirmou nesta terça-feira (9) que recebeu uma representação do ativista LGBTQ+ Agripino Magalhães contra o jogador Neymar e os “parças” por crime de homofobia e formação de quadrilha. A informação é da página F5 celebridades.

Em áudio vazado por Léo Dias do Metrópoles, na sexta-feira (5), Neymar xinga seu padrasto, usa termos como “viadinho” e fala sobre uma suposta briga com sua mãe, Nadine Gonçalves.

 

Os amigos do jogador do PSG também fazem parte da representação por ameaçar o modelo e namorado de Nadine de “matar, enfiar um cabo de vassoura no c*”, acrescenta a reportagem.

Agripino justifica que as “falas homofóbicas” e “agressões físicas, sodomia e empalhamento de uma criatura humana” são suficientes para pedir a apreensão da gravação e a quebra de sigilo de todos os envolvidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

três + dezoito =