O presidente Jair Bolsonaro lembrou neste domingo (7), por meio de uma rede social, a participação de militares brasileiros na 2ª Guerra Mundial. Na mensagem, Bolsonaro diz que as tropas brasileiras, “compostas de negros, brancos e mestiços vivendo de forma harmônica e integrada”, ajudou a derrotar “o nazismo e o fascismo.”

A manifestação do presidente ocorre no dia em que são registrados protestos contra seu governo e em defesa da democracia, e em meio a críticas a medidas consideradas autoritárias, como a mudança nos boletins sobre o coronavírus, que passaram a ser divulgados apenas por volta das 22h e não trazem mais os números consolidados de contágio e de mortes provocadas pela covid-19 no país.

Manifestantes se concentram em Brasília

Manifestantes se concentram em Brasília

O presidente também vem sendo criticado por participar de manifestações a favor de seu governo e em defesa de medidas inconstitucionais e antidemocráticas, como o fechamento do Congresso, o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e uma intervenção militar.

“25 mil brasileiros foram à 2ª Guerra e garantiram a nossa liberdade e Democracia. Na Itália, para surpresa de outros Exércitos, viram a nossa tropa composta de negros, brancos e mestiços vivendo de forma harmônica e integrada. A COBRA FUMOU e derrotamos o NAZISMO e o FASCISMO”, disse o presidente na mensagem.

Protesto contra o governo

Manifestantes contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), contra o racismo e o fascismo e favoráveis à democracia protestaram em Brasília, na manhã deste domingo (7). O grupo se reuniu na Biblioteca Nacional, por volta das 9h e desceu a Esplanada dos Ministérios.

Eles seguiram até a Alameda das Bandeiras, onde a Polícia Militar do Distrito Federal montou um bloqueio para impedir o encontro com um segundo grupo, pró-Bolsonaro. Defensores do governo permanecem acampados próximo à Praça dos Três Poderes e têm feito manifestações semanais, aos domingos.

A PM acompanhou o ato. No gramado em frente ao Congresso Nacional, os militares fizeram um cordão de isolamento para separar os manifestantes.

Manifestantes fazem ato contra Bolsonaro, a favor da democracia e contra o racismo, na Esplanada, em Brasília, neste domingo (7) — Foto: Afonso Ferreira/G1

Manifestantes fazem ato contra Bolsonaro, a favor da democracia e contra o racismo, na Esplanada, em Brasília, neste domingo (7) — Foto: Afonso Ferreira/G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

2 − 1 =