Procuradoria-Geral da República (PGR) rejeitou solicitação de partidos, encaminhada pelo ministro Celso de Mello

O procurador-geral da República, Augusto Aras, rejeitou o pedido de apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro. A solicitação partiu de partidos políticos e foi encaminhada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello.
O pedido gerou reações instantâneas do Palácio do Planalto, como nota assinada pelo chefe do Gabinete de Segurança Institucoinal, Augusto Heleno, e do próprio presidente, o qual afirmou que não entregaria o celular, mesmo com ordem judicial.
 
Com informações de Metrópoles

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

18 + 13 =