A polêmica em torno do uso ou não da hidroxicloroquina para tratar doentes com a covid-19 ganhou um novo capítulo nesta segunda-feira (25). O Secretário Executivo de Gestão da Rede de Saúde do Estado, Daniel Beltrammi revelou, em entrevista ao programa Arapuan Verdade, que o Estado da Paraíba não considera mais o uso do medicamento para o tratamento em internados com a doença nos hospitais locais.

Na semana passada, o Secretário de Saúde, Geraldo Medeiros já tinha se posicionado dizendo que a Paraíba já fazia uso da droga desde março, quando os primeiros casos foram identificado na região, da droga e que defendia o uso em casos graves como forma de curar os doentes.

Beltrami informou que o medicamento está fora dos protocolos de tratamento em todo o estado a partir desta segunda, data em que foi anunciado um novo protocolo, considerando o resultado de testes feitos em mais de 16 mil pessoas, que apresentaram graves consequências com efeitos colaterais do medicamento. “Os últimos estudos demonstraram que a hidroxicloroquina não tem efeitos contra o coronavírus, muito pelo contrário, para os pacientes em estado moderado e grave, causando arritmias vasculares graves, a droga chegou a comprometer até a vida dos pacientes.”

Segundo o gestor, em função das evidências científicas disponibilizadas pela revista internacional The Lancet, e pelo anúncio oficial da Organização Mundial da Saúde (OMS) fica suspenso os testes clínicos com hidroxicloroquina no tratamento contra o coronavírus na Paraíba. Ele explicou ainda que a decisão foi motivada por preocupações em relação à segurança do medicamento após o grande número de problemas e de mortes por problemas cardíacos, como arritmia nos pacientes que foram submetidos aos testes em todo o mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

19 + doze =