O presidente Jair Bolsonaro conversou cedo nesta quarta-feira (20) com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e foi aconselhado a anunciar o adiamento do Enem.

A Câmara estava pronta para votar o adiamento – já aprovado pelo Senado – mas o governo temia uma derrota das duas Casas do Legislativo num momento em que precisa dos parlamentares para evitar um eventual processo de impeachment.

Como gesto a Maia, Bolsonaro se antecipou à derrota no Congresso e o MEC anunciou o adiamento do Enem.

O adiamento havia sido discutido entre Maia e Bolsonaro na semana passada. A reunião foi articulada pelos ministros da ala militar para reaproximar Maia e Bolsonaro.

Maia é quem autoriza um eventual processo de impeachment contra Bolsonaro.

Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será adiado “de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais”, de acordo com decisão do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e do Ministério da Educação (MEC).

As novas datas não foram divulgadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

três + 9 =