Depois de comandar uma reunião com prefeitos de cidades da Grande João Pessoa, o governador João Azevêdo (Cidadania) admitiu à imprensa que medidas mais duras de isolamento social poderão ser tomadas em virtude da proliferação do contágio do coronavírus. Ele não descartou, por exemplo, a hipótese de adotar o toque de recolher e salientou ter havido um pacto entre os gestores no sentido de trabalhar com todas as possibilidades legais indispensáveis ao enfrentamento da calamidade. O chefe do Executivo apelou para a necessidade de compreensão, por parte da população, da tomada de medidas enérgicas, lembrando que tal cenário já se verifica em diferentes Capitais e localidades brasileiras. Está em cogitação a possibilidade de rodízio de veículos.

Ficou estabelecido na reunião o encaminhamento, pelos prefeitos, de sugestões para a montagem de um plano conjunto (governo do Estado e prefeituras de cinco cidades) para ampliar as medidas, principalmente de redução de mobilidade como uma das alternativas para deter o avanço do contágio. O plano geral deverá incluir aplicação de multas para quem não estiver usando máscaras, entre outras medidas que, na opinião do governador, precisam ser adotadas até o dia 22 de maio. “Se até lá nada for feito, em termos mais consistentes, vamos estar com mais de 7,5 mil casos de covid-19 na Paraíba”, alertou o mandatário. Ele deixou claro que os administradores não estão se apegando à frieza dos números e, sim, tratando com preocupação focada em vítimas, em histórias de famílias que estão sendo destruídas ou despedaçadas. A previsão é de que o plano seja apresentado até a manhã do sábado (16).

A articulação comandada pelo governo do Estado envolve os prefeitos Vítor Hugo (Cabedelo, Luciano Cartaxo (João Pessoa), Márcia Lucena (Conde), Berg Lima (Bayeux) e Emerson Panta (Santa Rita). Nesta sexta-feira, a prefeitura de João Pessoa inaugura o novo Hospital Prontovida, em Tambiá, exclusivo para tratamento de Covid-19. Os primeiros trinta leitos da unidade já passam a funcionar a partir deste final de semana, sendo dez deles de UTI. O prefeito Luciano Cartaxo (PV), o secretário de Saúde, Adalberto Fulgêncio, e a secretária da Infraestrutura, Sachenka da Hora, participam da inauguração, que será feita de forma restrita, evitando aglomerações.

A referida unidade hospitalar foi completamente reestruturada com novas redes elétrica e hidráulica, instalação de dutos para gases hospitalares, reparo e reinstalação de climatização, além de pintura e retalhamento. “O Prontovida é resultado de um trabalho integrado de várias secretarias para fortalecer a rede de saúde. A partir deste final de semana, já vamos admitir os primeiros pacientes. João Pessoa ganhará um novo hospital com toda a estrutura para o enfrentamento à Covid-19”, assegurou o prefeito. Serão 178 profissionais atuando numa primeira etapa, incluindo médicos, clínicos, infectologistas, cardiologistas, intensivistas, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, assistentes sociais, psicólogos, nutricionistas, farmacêuticos e fisioterapeutas. Haverá três áreas para implantação de UTIs, farmácia, central de abastecimento, laboratório, radiologia, copa, refeitório, sala de repouso e almoxarifado. A unidade contará com respiradores, ventiladores, monitores, além de aparelhos para a reanimação de pacientes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dois × 4 =