Sem papas na língua, como sempre, o presidente Jair Bolsonaro reafirmou, nesta quarta-feira (13) ao sair do Palácio da Alvorada, que defende o fim do isolamento social e comentou que alguns brasileiros precisam trabalhar para sobreviver e sustentar sua família.

Durante entrevista à imprensa, Bolsonaro não poupou criticas ao governador de São Paulo, João Doria, que declarou recentemente que “era melhor o isolamento do que o sepultamento”. “Quem ficar em casa vai morrer de fome, não podemos ficar hibernando em casa”, afirmou o presidente voltando a defender o fim do isolamento social nos estados e municípios.

O presidente lamentou que alguns país de família não tenha condições, nesse momento, de dar comida aos seus filhos porque não está sem trabalhar. “Quem está passando fome perde a razão. Quando ele chega em casa e vê o filho passando fome, ele não pode fazer nada. Ele se desespera, porra. Ele fica doido. Briga em casa, briga com o vizinho”, prosseguiu Bolsonaro. “Vamos esperar chegar a esse ponto para reagir? O povo tem que voltar a trabalhar!”

Bolsonaro comentou, também, que aqueles que têm condições de sobreviver não está enfrentando problema nenhum devido ao isolamento. “ficar em casa para quem pode é legal, sem problema nenhum. Mas para quem não tem condições, a geladeira está vazia, tem três, quatro filhos chorando. Tem gente que chega em casa e tem danoninho, carne de primeira. “

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

um × cinco =