A Câmara Municipal de Conde decidiu nesta terça-feira (12), durante sessão remota, dar seguimento ao processo de cassação da prefeita Márcia Lucena. Durante sessão, não transmitida nas redes sociais, a maioria dos vereadores, 5 contra 4, aprovou a abertura de investigação contra a gestora.

Os vereadores alegaram a suposta participação de Márcia em organização criminosa que teria existido no Governo do Estado entre 2011 e 2018. O caso é investigado pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba, no âmbito da Operação Calvário.

Na ocasião, os vereadores derrubaram o parecer da Comissão Processante, formada para analisar o pedido. O parecer era favoável ao arquivamento da cassação. A Comissão é formada por três vereadores: Pinta do Gurugi (PSB), que é o presidente, Irmão Cacá (PSB), que ficou com a relatoria, e Juscelino Araújo(Cidadania).

Ao defenderem o arquivamento da denúncia, os integrantes da Comissão Processante ressaltaram que as acusações contra Márcia ainda estão sendo apuradas e que não há condenação. Alegaram também que o processo, neste momento, traria prejuízos para a cidade, que a exemplo de todas as cidades brasileiras, sobre com a crise de saúde e econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Votaram favoráveis ao prosseguimento da denúncia os vereadores Daniel Junior (Cidadania), Malba de Jacumã (DEM), Josélio Jogador (PROS) Juscelino Araújo (Cidadania) e Adriano Ferreira (PROS). Votaram contra os vereadores Luzimar Nunes (PSB), Naldo Cell (PSB), Pinta do Gurugi (PSB) e Irmão Kaká (PSB).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

17 − oito =