Até o mês agosto, segundo estudo do Instituto de Métricas e Avaliação da Saúde (IHME) da Universidade de Washington, o Brasil deverá contabilizar 90 mil óbitos referentes ao coronavírus (Covid-19).

O estudo faz a previsão com base em oito dos 26 estados do país que foram os primeiros a registrar mais de 50 mortes. Nessa estatística está São Paulo, com quase 37 mil óbitos previstos.

A análise inclui previsões para oito dos 26 estados brasileiros que foram os primeiros a ter mais de 50 mortes, incluindo São Paulo, com quase 37.000 mortes previstos, para o Paraná com menos de 250 mortes.

O diretor do IHME, Christopher Murray, diz que o resultado dessa pesquisa tem como finalidade alertar e orientar os gestores políticos sobre a melhor forma de combater e tentar prevenir a pandemia e, consequente expansão da doença no território brasileiro.

De acordo com o pesquisador, a previsão vai até o dia 4 de agosto. Ele explica que as projeções do Instituto são modificadas conforme novos números são informados e computados.

Christopher comenta que a conclusão do IHME é de que haverá 88.305 mortes no Brasil, em um intervalo possível tão baixo quanto 30.302 e tão alto quanto 193.786 até 4 de agosto.

Pela previsão, Pernambuco terá 9.401 óbitos até 4 de agosto, com faixa de 2.468 a 23.026. No Ceará a previsão é de que ocorram 8.679 mortes até esse mesma data, com variação de 2.894 a 18.592.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezessete + seis =