A decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em tornar academias de esportes, salões de belezas e barbearias como serviços essenciais no Brasil durante a pandemia não terá validade na Paraíba.

O entendimento é que em cada localidade serve o decreto mais restritivo como determinou o Supremo Tribunal Federal (STF), segundo informou ao portal o procurador de João Pessoa, Adelmar Regis.

Procurado pela reportagem, o procurador-geral do Estado, Fábio Andrade, pontuou que as atividades continuarão fechadas, como fixado no decreto 40.217/20.

A exceção de funcionamento no Estado são os supermercados, farmácias, lojas de material hospitalar, padarias e outros do ramos de alimentação, além de setores da indústria.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

oito − três =