Em nota divulgada ontem, a Rede Tambaú de Comunicação anunciou a demissão de mais de dez profissionais, alegando dificuldades financeiras supostamente agravadas pela crise do coronavírus. Entre os funcionários demitidos está o jornalista Aldo Schueler, âncora do Tambaú Notícias, tido como uma legenda da televisão paraibana. Natural do Rio de Janeiro, Aldo começou a atuar na imprensa do Estado na década de 80, integrando o núcleo fundador da TV Cabo Branco, ainda hoje afiliada da Rede Globo. Destacou-se como noticiarista, caracterizando-se pelo profissionalismo e pela credibilidade.

Aldo foi casado com a jornalista Nelma Figueiredo, igualmente uma das revelações da comunicação paraibana, com passagens pelas TVs Cabo Branco, TV O Norte e TV Correio, tendo concluído sua trajetória como âncora do CBN João Pessoa, na rádio CBN, já então vinculada ao Sistema Paraíba de Comunicação. Nelma morreu precocemente, de câncer. Aldo Schuler, além de noticiarista, também fez carreira como locutor-entrevistador e como cerimonialista, atuando, paralelamente, em emissoras de rádio. Ao todo, 12 profissionais foram demitidos pela TV Tambaú. A crise já havia levado o Sistema Correio de Comunicação a fechar o jornal “Correio da Paraíba”, um dos mais tradicionais do Estado, provocando demissões de dezenas de jornalistas e demais profissionais. Mais recentemente a TV Arapuan rescindiu o contrato do casal de apresentadores Patrícia Rocha e Bruno Sakaue, em meio a divergências sobre redução de salários.

A nota oficial da Rede Tambaú de Comunicação é a seguinte: “Estamos diante da maior crise mundial dos tempos modernos, que impacta de forma dramática a vida das pessoas e o cotidiano das organizações. Assim como todas as empresas e grupos de comunicação brasileiros, a RTC desde o primeiro momento iniciou um processo de reestruturação para se adequar a uma nova realidade econômica, tendo como premissas o cumprimento das obrigações e a sustentabilidade dos negócios. Por fim, reafirmamos nosso compromisso em continuar produzindo conteúdo relevante e de credibilidade, acreditando que com o restabelecimento da normalidade das nossas vidas, possamos continuar contribuindo com o desenvolvimento socioeconômico da Paraíba e de Alagoas”.

Em mensagem postada em rede social, a jornalista Edilane Araújo, da TV Cabo Branco, que foi companheira de trabalho de Aldo Schueler, definiu-o como “um gentleman, amigo leal” e contou que teve o prazer de trabalhar com ele na TV e no rádio, “veículo que o transformou no rei da noite no fim dos anos 80, com um programa cuja trilha permanece na memória até hoje”.  Edilane avaliou que Schuler – “grande nome da comunicação paraibana” – encerrou um ciclo importante da sua vida profissional ao se despedir da bancada que ocupou por quase três décadas. “Referência no jornalismo, desenvolveu na TV um trabalho irretocável, digno, sem manchas. Sai de cena mas deixa a sua marca. Uma espécie de tatuagem no coração das pessoas que acompanharam a sua trajetória por todos esses anos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

cinco − 3 =