O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, admitiu hoje promover a abertura de alguns segmentos do comércio do município, apesar da disposição do Governo da Paraíba e da prefeitura de João Pessoa de manterem o mesmo nível de isolamento social previsto no início da pandemia. “Se a gente abre oficinas, por que não abrir as lojas de peças? Lojas de tecido e imobiliárias também podem abrir, .Queremos ver se podemos construir um consenso. O momento é de se unir contra o inimigo comum, o Covid-19, mas não dá para tratar as diferenças de forma isonômica”, disse Romero à TV Cabo Branco.

“Vamos tentar trabalhar em sintonia com o Governo, a prefeitura de João Pessoa e a Famup observando o que é melhor para a população, mas propondo alguma alteração que pode gerar uma abertura gradativo e lento da atividade comercial que também pede socorro neste momento”, disse Romero.

O prefeito também comentou a polêmica que tomou proporção nacional com fotos de comerciários ajoelhados no Centro de Campina Grande e que, segundo o sindicato dos comerciários da Rainha da Borborema, teria sido fruto da coação dos empresários para forçar a reabertura das lojas. “Vejo com tristeza essa imagem. Confio na classe empresarial de Campina Grande e sei que eles estão atônitos porque a situação não é fácil porque a atividade econômica tem um custo e eles estão de portas fechadas. Eles tentaram uma forma de chamar atenção, foi interpretada de forma errônea, mas respeito a classe empresarial e espero que possamos fazer a reparação dessa imagem”.

Tocador de vídeo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

três × 4 =