As medidas de isolamento social deverão ser estendidas até o dia 18 de maio. A previsão é do secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros. O decreto ampliando a quarentena, porém, deverá trazer a flexibilização para alguns setores da economia, considerados essenciais e que não provocam aglomerações. É importante que isso aconteça. Mas a preocupação maior, nesse instante, é fazer cumprir as regras de isolamento. É que o próprio Governo reconhece que no Estado apenas 47% da população cumpre a quarentena, quando o indicado seria pelo menos 60%.

O cenário, de fato, é preocupante. Sobretudo quando se observa o crescimento sistemático do número de casos confirmados da Covid-19 e, o pior: de mortes. Já são 814 casos confirmados e 62 óbitos na Paraíba. No Brasil esse número chega a 5.513.

Infelizmente os números não sensibilizam as pessoas da necessidade de se manterem em casa. Quem descumpre o isolamento social, sem necessidade, só vai perceber o quanto a doença é perversa quando os números tiverem nomes e feições de pessoas próximas. A dor pela perda, entretanto, deveria ser coletiva. É preciso sentir a dor do outro nesse momento…

Uma outra questão que precisa ser considerada são as dificuldades da economia. É triste vermos lojas e estabelecimentos fechados, enquanto milhares passeiam por ruas e avenidas das cidades. Se o fechamento é necessário, nesse instante, que possamos ter a sensibilidade de permanecermos em casa. É o mínimo.

Nunca é demais lembrar: os óbitos não são números, apenas. Eles têm nomes, rostos e valores que precisam ser respeitados e preservados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

6 + 10 =